DJAVAN

Me sinto quase que obrigada a homenagear Djavan. Ele e seu oceano, o deserto, seus temores. Ele e seu olhar, que não diz de exato quem és, mas devora. Ele que sabe que um amor puro não sabe a força que tem. Que longe da felicidade e todas as suas luzes, deseja mais que o ar, mais que tudo. Que contra o poder do amor, cai nos pés de um vencedor para ser um serviçal de um samurai. Que deu seu coração, com toda força, para a moça o fazer feliz… Logo quando o destino não quis o ver como raiz de uma flor de lis.
Ele, assim como eu, só procura o elo com todas as cores para enfeitar amores gris. É tanta sintonia com essa obra prima deixada por ele! É tanto amor, tanta dor, tantos sentimentos complexos e sutilmente desvendados. Reluz. Clareia. Exata. Desde pequena ouço, me encanto, me acabo. Tenho do seu patrimônio a trilha sonora da minha vida. Momentos bons e ruins. Mas sempre musicais. E aprendo. Com cada melodia, cada letra, cada arrepio frio.
Em um dia frio, sim, faz-se um bom lugar para ler um livro. E, exato, com o pensamento em você… Sei que sem você não vivo. Nos dias tristes, sim, meu caro, toda fragilidade incide, tudo se divide. Concordo que por ser amor, revela-se e fim. Tudo faz sentido, tudo classifica a vida, tudo explica o mistério de cada dia.
Graças a você, que talvez nunca venha a saber da minha admiração, procuro cor onde tudo é cinza. Procuro a mim mesma e ao mundo com uma imensa sede de sensibilidade. Procuro sorrisos de gente desconhecida, procuro crianças brincando no parque, procuro casais de idosos ainda apaixonados, procuro pássaros cantando, procuro pessoas cantando, procuro abraços sinceros, procuro diálogos inesperados, procuro olhares profundos. Procuro a paz que uma criança dormindo em seu colo é capaz de transmitir, procuro o encontro, procuro a tele, procuro o aqui e o agora. Procuro ser toda em tudo que faço, ser tua em tudo que é nosso, ser sozinha em tudo que é meu.
Eu quero ver o por do sol, lindo. E quero gente pra ver e viajar no seu mar de raio. Quero os pés na areia, os pés no mar, o aconchego do sol. Quero viver tudo aquilo que você poetizou tão lindamente. Quero que a vida seja meu bem querer, segredo, sagrado, sacramentado em meu coração. Quero djavanear. Eternamente djavanear.
Anúncios

Um comentário sobre “DJAVAN

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s